O deputado Cabo Maciel (líder do PL), confirmou na manhã desta terça-feira (1º/12), durante discurso no Pequeno Expediente que está solidário a luta dos professores, gestores, pedagogos e demais funcionários de Itacoatiara/AM (a 176km de Manaus), para exigir explicação do prefeito Antônio Peixoto (PT), sobre os mais de 62 milhões que foram repassado do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) de janeiro a outubro deste ano, que não foram prestado conta nem aparece no portal da Transparência da Prefeitura.
Como membro titular da Comissão Permanente de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Cabo Maciel exigiu que prefeito dê publicidade no aplicativo de mais de 62 milhões de reais. “Vale ressaltar que estamos vivendo um período de pandemia no Amazonas, no Brasil e no mundo. E as escolas estiveram paradas durante todo esse período e os professores estiveram em suas atividades Home Office”, destacou.
Acrescentou Cabo Maciel que é necessário que o prefeito esclareça, onde foi aplicado os 60% do Fundeb de Itacoatiara que é destinado a folha de pagamento dos professores, gestores, pedagogos e servidores da educação do município.
“Os outros 40%, eu suponho que o prefeito deve devolver, uma vez que estive visitando mais de 95% de nossas comunidades rurais e pasme, das mais de 135 escolas do município, menos de dez escolas sofreram reforma. As outras estão em estado deplorável com portas, janelas, fôrro e telhado quebrado e o prefeito precisa prestar conta dos 40% dos mais de 62 milhões repassado pelo Fundeb”, ponderou Maciel.
“Eu entendo que neste momento o prefeito vem se apressando em fazer empenho para limpeza de ar condicionado no valor de um milhão e meio, compra de material de construção e a gente sabe como funciona um final de mandato de um prefeito que não se reelegeu. É necessário que o Ministério Público possa tomar as providências de fazer as fiscalizações corretas em cima desse aplicativo e quero ser solidário aos professores do município, para que a gente possa de alguma forma contribuir e se necessário for, ingressar com uma ação no MP bloqueando esses recursos para que o novo prefeito possa fazer uma nova tomada de contas e assim decidir o que fazer com o recurso do Fundeb, uma vez que essa administração atual foi incompetente para fazer”, concluiu Maciel.