Manaus- Mesmo após o colapso causado pela pandemia do covid-19 no Amazonas, a Câmara Municipal de Manaus (CMM), não adotou nenhuma medida para conter a pandemia.

O então presidente da Câmara Municipal de Manaus, David Reis nem se quer mencionou alguma medida durante sessão.

Assim como os vereadores, que até agora não apresentaram nenhum projeto de lei (PL) que aborde o assunto para serem levadas a votação na casa.

Diante de tamanho descaso, a CMM pode enfrentar acusações judicias por crime de responsabilidade. Além disso, o órgão continua impondo dificuldades no acesso à informação, uma vez que, o planejamento orçamentário para o ano de 2021 ainda não foi atualizado.

Temas irrelevantes foram tratados na casa como na primeira sessão ordinária da casa, no dia 9 de fevereiro, o presidente Davi Reis solicitou novamente a criação da Frente Parlamentar em Defesa da Vida e dos Valores Cristãos (Fepacri).

Vale ressaltar que somente neste dia, a cidade de Manaus registrou 125 sepultamentos, dos quais 65 foram confirmados por Covid-19. O estado do Amazonas registrava 2.288 novos casos e 169 óbitos, segundo dados da FVS-AM.

  • No dia 10 de fevereiro, segundo dia de sessão ordinária, as comissões técnicas permanentes foram compostas. “Nada mais havendo a tratar, o presidente encerrou a sessão.”
  • No dia 15 de fevereiro, durante a terceira sessão ordinária do ano, a Mesa Diretora da CMM resolveu prorrogar o serviço em home office, proibindo todas as atividades presenciais do Legislativo Municipal, exceto para os serviços essenciais. A votação em caráter de urgência do dia foi para decretar a suspensão do feriado de quarta-feira de cinzas.

1 de 3  

Ata do dia 9 de fevereiro, disponível em http://www.cmm.am.gov.br/wp-content/uploads/2021/02/09_02_2021_ORD.pdf
Ata do dia 10 de fevereiro, disponível em http://www.cmm.am.gov.br/wp-content/uploads/2021/02/10_02_2021_ORD.pdf
Ata do dia 15 de fevereiro, disponível em http://www.cmm.am.gov.br/wp-content/uploads/2021/02/15_02_2021_ORD.pdf

Links para averiguação do Diário Oficial: dia 9dia 10 e dia 15.

Preguiçosos e com os salários em dias, nenhum meio foi pensado ou imposto para ajudar em meio ao caos.

Podemos observar um cenário desesperador e zero comprometimento do Poder Legislativo Municipal.

No início desse ano, 10/01, a Defesa Civil do Amazonas já estava estava ciente da eminente falta de oxigênio medicinal para o tratamento dos pacientes acometidos pela Covid-19. Quatro dias depois, no dia 14/01, foi denunciado pelos principais veículos de imprensa o elevado número de pacientes que vieram a óbito, asfixiados dentro dos hospitais públicos da cidade. Enquanto isso, não houve nenhuma ação proativa por parte da CMM.

Pelo contrário, no dia 15 de janeiro, a Câmara Municipal de Manaus suspendeu suas atividades, “afim de contribuir para a segurança do servidor público e conter o avanço da doença”. Ainda na mesma publicação do Diário Oficial do Legislativo, o presidente Davi Reis assinou dois despachos para dispensar a licitação com as concessionárias de água e energia, Manaus Ambiental e Amazonas Energia, respectivamente.1 de 3  

manaus ambiental
amazonas energia

Segue o link do documento aqui.

Neste mesmo dia, Manaus bateu recorde no número de sepultamentos. Foram 213 enterros registrados nos cemitérios da cidade, segundo o informe funerário da prefeitura.

Em visita na noite do dia (16/02), o planejamento orçamentário de 2021 ainda não havia sido atualizado.