Foto: Gazeta Esportiva
O cabo da Polícia Militar e ex-judoca olímpico Mário Sabino, de 47 anos, foi morto na noite desta sexta-feira, 25, no bairro Jardim Niceia, em Bauru, no centro-oeste do Estado de São Paulo. 

Segundo a PM, informações preliminares apontam que Sabino foi assassinado pelo sargento Agnaldo Rodrigues do Centro de Operações Militares da Polícia Militar (Copom), que teria se suicidado em seguida. As causas da morte e motivação ainda estão sob investigação. 


Na tarde de sexta, o ex-judoca participou de palestra no 2º Simpósio Esportivo no município de Tarumã, também em São Paulo.

O ex-atleta representou o Brasil nas Olimpíadas de Sydney, na Austrália, em 2000, e em Atenas, na Grécia, em 2004, além de ter sido auxiliar técnico da delegação brasileira nos jogos de Londres, na Inglaterra, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016. 

Mário foi medalhista de ouro nos Jogos Pan-americanos de 2003 em Santo Domingo, na República Dominicana, e de bronze no Mundial de Osaka, no Japão, em 2003.

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) lamentou a morte do ex-atleta em nota oficial. “A Confederação Brasileira de Judô expressa seu mais profundo pesar e consternação pela perda repentina e trágica de um judoca, amigo e professor. Mário Sabino Júnior será lembrado para sempre e com carinho por toda a família do judô brasileiro”, diz o texto.


Em homenagem póstuma, a CBJ fará um minuto de silêncio na cerimônia de abertura do CBI – Seletiva Nacional Sub-18, que começou neste sábado, 26, em Canoas, Rio Grande do Sul.  

O também ex-judoca e apresentador de televisão Flávio Canto lamentou a morte do colega de delegação nesta manhã, em seu perfil no Instagram. “Sem palavras ainda. Nosso amigo de tantas lutas partir desse jeito”, escreveu.


Fonte: Estadão