Coronel Alfredo Menezes, títular SUFRAMA Superintendencia da Zona Franca de Manaus - Foto Márcio Melo

O ex-superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes (Patriota), voltou a criticar a indicação do senador Omar Aziz (PSD-AM) para a presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, nesse domingo (25). Menezes, que mira uma vaga no Senado nas próximas eleições questionou a capacidade moral do senador de assumir a presidência da CPI.

Candidato derrotado nas últimas eleições para prefeito de Manaus sendo o quinto colocado na disputa, coronel Menezes já afirmou diversas vezes que não se alia a corruptos. Ele, que é amigo de longa data do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, alvo de investigações da CPI da Pandemia, por suspeita de omissão na crise de oxigênio no Amazonas, que ocasionou na morte de diversas pessoas por asfixia, devido à falta do insumo no estado. Menezes tenta jogar seu passado recente para debaixo do tapete, na época demitido por Bolsonaro e suspeito de irregularidades em contratos segundo o deputado e vice presidente da Câmara dos deputados Marcelo Ramos PL.

Ainda no domingo, coronel Menezes e Eduardo Pazuello, potenciais candidatos ao Governo do Amazonas, tiveram um encontro para tratar de assuntos políticos. Em outra ocasião, Menezes afirmou que, se Pazuello for candidato ao Governo do Estado, ele será candidato ao Senado, ou vice-versa.

“A conversa claro teve a política como tema principal, conversamos sobre projetos presentes e futuros, discutimos os cenários nacionais e estaduais, temos a convicção que existe um grande projeto a ser desenvolvido. O momento é de construção de pontes, cuidar do presente e colocar os olhos no futuro”, escreveu Menezes em uma postagem no Instagram, onde aparece reunido com Pazuello e outros apoiadores.

Ao que tudo indica as críticas de Menezes ao senador Omar Aziz podem estar diretamente ligadas a uma jogada política por disputa de vaga no Senado e no Governo do Estado, e ainda, para ajudar seu aliado, Eduardo Pazuello durante os desdobramentos da CPI da Pandemia.

Já o senador Omar Aziz, recentemente, ganhou mais notoriedade no campo político por causa da indicação para presidir a CPI da Pandemia. Caso tenha um bom desempenho na condução da CPI, Omar Aziz pode ser “uma pedra no sapato” de Pazuello e Menezes durante a disputa política.

De

De olho em uma vaga no Senado, Coronel Menezes volta a criticar indicação de Omar Aziz para presidir CPI da Pandemia

O ex-superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes (Patriota), voltou a criticar a indicação do senador Omar Aziz (PSD-AM) para a presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, nesse domingo (25). Menezes, que mira uma vaga no Senado nas próximas eleições questionou a capacidade moral do senador de assumir a presidência da CPI.

Candidato derrotado nas últimas eleições para prefeito de Manaus, sendo o quinto colocado na disputa, coronel Menezes já afirmou diversas vezes que não se alia a corruptos. Ele, que é amigo de longa data do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, alvo de investigações da CPI da Pandemia, por suspeita de omissão na crise de oxigênio no Amazonas, que ocasionou na morte de diversas pessoas por asfixia, devido à falta do insumo no estado.

Ainda no domingo, coronel Menezes e Eduardo Pazuello, potenciais candidatos ao Governo do Amazonas, tiveram um encontro para tratar de assuntos políticos. Em outra ocasião, Menezes afirmou que, se Pazuello for candidato ao Governo do Estado, ele será candidato ao Senado, ou vice-versa.

“A conversa claro teve a política como tema principal, conversamos sobre projetos presentes e futuros, discutimos os cenários nacionais e estaduais, temos a convicção que existe um grande projeto a ser desenvolvido. O momento é de construção de pontes, cuidar do presente e colocar os olhos no futuro”, escreveu Menezes em uma postagem no Instagram, onde aparece reunido com Pazuello e outros apoiadores.

Ao que tudo indica as críticas de Menezes ao senador Omar Aziz podem estar diretamente ligadas a uma jogada política por disputa de vaga no Senado e no Governo do Estado, e ainda, para ajudar seu aliado, Eduardo Pazuello durante os desdobramentos da CPI da Pandemia.

Já o senador Omar Aziz, recentemente, ganhou mais notoriedade no campo político por causa da indicação para presidir a CPI da Pandemia. Caso tenha um bom desempenho na condução da CPI, Omar Aziz pode ser “uma pedra no sapato” de Pazuello e Menezes durante a disputa política.

olho em uma vaga no Senado, Coronel Menezes volta a criticar indicação de Omar Aziz para presidir CPI da Pandemia

O ex-superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes (Patriota), voltou a criticar a indicação do senador Omar Aziz (PSD-AM) para a presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, nesse domingo (25). Menezes, que mira uma vaga no Senado nas próximas eleições questionou a capacidade moral do senador de assumir a presidência da CPI.

Candidato derrotado nas últimas eleições para prefeito de Manaus, sendo o quinto colocado na disputa, coronel Menezes já afirmou diversas vezes que não se alia a corruptos. Ele, que é amigo de longa data do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, alvo de investigações da CPI da Pandemia, por suspeita de omissão na crise de oxigênio no Amazonas, que ocasionou na morte de diversas pessoas por asfixia, devido à falta do insumo no estado.

Ainda no domingo, coronel Menezes e Eduardo Pazuello, potenciais candidatos ao Governo do Amazonas, tiveram um encontro para tratar de assuntos políticos. Em outra ocasião, Menezes afirmou que, se Pazuello for candidato ao Governo do Estado, ele será candidato ao Senado, ou vice-versa.

“A conversa claro teve a política como tema principal, conversamos sobre projetos presentes e futuros, discutimos os cenários nacionais e estaduais, temos a convicção que existe um grande projeto a ser desenvolvido. O momento é de construção de pontes, cuidar do presente e colocar os olhos no futuro”, escreveu Menezes em uma postagem no Instagram, onde aparece reunido com Pazuello e outros apoiadores.

Ao que tudo indica as críticas de Menezes ao senador Omar Aziz podem estar diretamente ligadas a uma jogada política por disputa de vaga no Senado e no Governo do Estado, e ainda, para ajudar seu aliado, Eduardo Pazuello durante os desdobramentos da CPI da Pandemia.

Já o senador Omar Aziz, recentemente, ganhou mais notoriedade no campo político por causa da indicação para presidir a CPI da Pandemia. Caso tenha um bom desempenho na condução da CPI, Omar Aziz pode ser “uma pedra no sapato” de Pazuello e Menezes durante a disputa política.