O Senador Omar Aziz foi eleito, com oito dos 11 votos, o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, instalada no fim da manhã desta terça-feira (27). Na reunião, o Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi eleito o vice com sete dos 11 votos possíveis. Conforme indicação do MDB, partido de maior bancada do Senado, o Senador Renan Calheiros (MDB-AL) foi escolhido o relator.

Omar Aziz defendeu que a CPI investigue fatos e apresente políticas de Estado para o enfrentamento de pandemias. “Estamos chegando a 400 mil mortes no Brasil. Precisamos fazer justiça a essas famílias enlutadas. Esta CPI, diferente das outras, está na casa das pessoas. Todos perdemos um familiar, um amigo ou um conhecido”, destacou Omar.

A CPI da Pandemia é composta por 11 senadores titulares e sete suplentes. Ela foi criada a partir do requerimento do senador Randolfe e teve seu foco ampliado a partir do requerimento apresentado posteriormente pelo Senador Eduardo Girão (Podemos-CE). O RQS 1.371/2021, de Randolfe, propôs uma comissão de inquérito para investigar ações e omissões do governo federal no combate à pandemia de covid-19, com foco especial na situação do estado do Amazonas, primeiro estado do país onde hospitais reportaram desabastecimento de oxigênio para pacientes.

Depois, Girão apresentou o pedido (RQS 1.372/2021) para que a CPI investigasse, também, o uso de verbas federais repassadas a estados e municípios para o enfrentamento da crise sanitária. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, incorporou os dois requerimentos em uma única CPI, por considerar o segundo tema — as verbas repassadas aos entes federativos — conexo ao primeiro.

“Vamos fazer um trabalho técnico e transparente. O debate será proveitoso e esta CPI irá levar uma esperança maior na aquisição de vacinas e tecnologia. Não vamos discutir questões políticas em cima de 400 mil mortes. Vamos mostrar os caminhos que o Brasil deve seguir”, assegurou Omar.

Trajetória a serviço do Amazonas
Aos 62 anos, Omar Aziz é senador da República eleito por mais de 930 mil amazonenses. Em Manaus, foi aluno do Colégio Amazonense Dom Pedro II e da Escola Técnica Federal do Amazonas (hoje Ifam). Foi nesse período que Omar, com seus companheiros de movimento estudantil, lutou por muitas das conquistas alcançadas pela população, entre elas a meia-passagem. Graduou-se em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Amazonas.

Omar Aziz iniciou sua carreira política no começo da década de 1980 no movimento estudantil. Em 1981, foi eleito presidente da Engenhoca, que antecedeu a criação do Diretório Acadêmico de Engenharia da Ufam. Em 1984, foi diretor do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e participou ativamente de várias manifestações visando à redemocratização do País. Assumiu a direção da Fundação de Desenvolvimento e Apoio Comunitário (Fundac) em 1987, seu primeiro cargo na vida pública.

No dia 12 de abril de 1989, assumiu como vereador na Câmara Municipal de Manaus, na vaga deixada pelo vereador licenciado Antônio Carioca.

Em 1992, foi eleito para um novo mandato e, em seguida, eleito Presidente da Câmara Municipal de Manaus.

No dia 3 de outubro de 1994, Omar Aziz foi eleito deputado estadual, sendo o mais votado, e deixou a vereança no dia 1.° de fevereiro de 1995. Durante os anos em que esteve na Assembleia Legislativa do Amazonas, Omar Aziz exerceu muitas funções parlamentares no Poder Legislativo.

Foi o criador do programa de TV Exija Seus Direitos, o qual tinha como objetivo auxiliar na solução de questões judiciais das pessoas menos favorecidas economicamente.

Em 15 de novembro de 1996, Omar Aziz foi eleito vice-prefeito de Manaus. Nesse período, Omar Aziz acumulou também o cargo de Secretário Municipal de Obras (Semosb).

Em 2000, reelegeu-se vice-prefeito. Durante o novo mandato, Omar foi reconduzido à Secretaria Municipal de Obras. Em 2001, Omar deixou a Semosb e assumiu a Secretaria de Estado de Segurança Pública.

Em 2002, foi eleito vice-governador do Amazonas e reeleito quatro anos depois. Assumiu o governo do Estado em 31 de março de 2010, com a renúncia do Governador do Estado do Amazonas, Omar Aziz assumiu o Governo e foi reeleito no fim do ano.

Em 2014, foi eleito senador pelo Amazonas, com aproximadamente 930 mil votos, cargo que ocupa até os dias atuais.