Manaus – Na manhã desta sexta-feira (09), dia em que marca um ano da primeira vítima de uma profissional da enfermagem no Amazonas, o Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren-AM) prestou homenagem a todos os profissionais da área que perderam suas vidas, vítimas da COVID-19.

O evento foi realizado no Largo São Sebastião e reuniu um grupo de profissionais que representaram os mais de 80 profissionais que faleceram neste primeiro ano de pandemia no Amazonas.

Durante o ato, o presidente do Coren-AM, Dr. Sandro André, falou sobre a importância da atuação das equipes de enfermagem nos hospitais que estão atuando na linha de frente do combate ao coronavírus, lamentou a perda do grande número de profissionais para a COVID-19 e destacou os pleitos pelos quais a categoria vem lutando nos últimos anos.

Foto: Divulgação

“Não podemos deixar de lembrar desta data, é um momento de reflexão mas também de coragem para lutar pelos nossos direitos. Desde o início da pandemia já perdemos mais de 80 profissionais no estado. E a enfermagem tem tido um papel fundamental nessa luta pelas vidas acometidas pelo coronavírus, mas é uma classe que enfrenta grandes dificuldades. No Amazonas, ainda é uma realidade salários baixos, atrasos salariais, sobrecarga de jornada e condições inadequadas de trabalho, e as nossas autoridades parecem que não enxergam todo nosso esforço. As nossas demandas coletivas como jornada de 30 horas, piso salarial e locais dignos para descanso não são colocados em pauta nas casas legislativas. Por isso pedimos às autoridades sensibilidade para que essas pautas sejam apreciadas como reconhecimento do trabalho árduo que desempenhamos, não apenas na pandemia, mas em todos esses anos de luta. A Enfermagem tem um papel fundamental no sistema de saúde pública do país”, declarou Sandro André.

Após pronunciamento, os profissionais ficaram em silêncio por um minuto, para lembrar dos colegas que faleceram. Em seguida, soltaram balões verdes para o céu que representaram as vidas dos colegas de profissão que faleceram nesta pandemia. De acordo com o presidente do Coren-AM, em 2020 foram 22 mortes notificadas, já em 2021 esse número quase triplicou, chegando a 60 óbitos registrados até esta sexta-feira (09).

Foto: Divulgação

Dados do Conselho Federal da Enfermagem (Cofen) indicam dos 82 profissionais de enfermagem que morreram no Amazonas, destes, 68,75% são profissionais do sexo feminino e 31,25% são do sexo masculino. O Amazonas é o estado com a maior taxa de letalidade entre os profissionais da enfermagem marcando 53,74%. Hoje o Amazonas tem mais de 52 mil profissionais registrados. Os dados são do Observatório da Enfermagem do , banco de dados que acompanha a atuação de enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem na pandemia, esses dados são fornecidos pelo Coren-AM, juntamente com os serviços de saúde dos estados e municípios.