Eleita como promessa de renovação, a prefeita de Presidente Figueiredo (distante 107 quilômetros de Manaus), Patrícia Lopes (MDB) já não consegue sustentar a personagem de boa samaritana. Envolvida em escândalos por contratações milionárias e favorecimento de empresários, ela pode ser o próximo alvo do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), responsável pela prisão do prefeito de Urucurituba, José Claudenor Pontes, o Sabugo (PT), na quarta-feira (28).

Patrícia Lopes, assim como o prefeito preso, pode estar envolvida em uma suposta organização criminosa que favorece determinados empresários em processos licitatórios do município. Mas, diferente do prefeito Sabugo que direcionava licitações para empresas ligadas a servidores da Prefeitura, Patrícia faz pior e favorece descaradamente empresas ligada a amigos, irmão e até ao próprio namorado.  

Logo no início de mandato, a prefeita contratou duas empresas para fornecerem os serviços de instalação de tendas e gestão de convênios no valor de R$ 174 mil. Uma dessas empresas era, supostamente, do amigo da prefeita e secretário de Planejamento e Finanças, Marden Eufrásio dos Santos.  Ele que recebe um salário de R$ 6.400, segundo o Portal da Transparência, teria sido um dos patrocinadores da campanha da prefeita nas eleições de 2020.

Outra empresa beneficiada pela prefeita com contratos milionários foi a Deusimar M. Da Silva & Cia, que estaria recebendo a quantia de R$ 1.271.855.64 dos cofres públicos. Segundo informações, essa empresa teria como sócio o namorado da prefeita, Bruno Maia, que teria sido o responsável por facilitar a ligação da prefeitura com a empresa visando interesses pessoais e econômicos.

Ela também já foi acusada de realizar contratos superfaturados para a criação de um site, quando contratou uma empresa no valor de R$ 150 mil, quando na verdade o valor de mercado para a criação de um site está no valor de R$ 15 mil. Segundo matéria já divulgada pelo portal O Abutre, o dono da empresa contratada seria Edy William Siqueira, empresário preso em uma operação da Polícia Federal em 2020, acusado de envolvimento em quadrilha que desviou R$ 40 milhões do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Mas, os gastos exorbitantes não param por aí. A prefeita também já contratou uma empresa de limpeza pública no valor milionário de R$ 1.658.763,17, em um contrato com vigência de apenas 90 dias. A empresa Basalto Construções e Projetos LTDA, de propriedade de Francisco Edmundo Lopes Neto, supostamente, vivia de mamata na gestão do ex-prefeito Romeiro Mendonça. E a prefeita que prometeu mudança e renovação mais uma vez zomba da cara da população.

Apesar dos gastos milionários, a população de Presidente Figueiredo sofre e pede socorro. Um vídeo divulgado pelo portal ‘Jornal Notícias Populares’ mostra os próprios moradores tapando buracos na cidade. Insatisfeitos e cansados de esperar por soluções da atual gestão, os moradores contam que tiraram dinheiro do próprio bolso para tapar buracos na rua onde moram, porque já não aguentavam mais passar por transtornos e causar prejuízos aos seus próprios veículos. O caso aconteceu na Rua Jurupari, bairro Sol Nascente, cujas ruas estavam em estado de calamidade.